Agentes de Amor e Esperança!


A estação natalina lembra e relembra o gesto divino em que Deus veio nascer e habitar entre nós. Seu nascimento anuncia a chegada de um menino cujos ombros carregam o governo de um novo reino repleto de paz, amor, justiça e alegria no Espírito Santo. Deus nascido em forma de menino trouxe em seu nome as insígnias “Maravilhoso”, “Conselheiro”, “Deus Poderoso”, “Pai Eterno” e “Príncipe da Paz”.


Um novo tempo se iniciou com sua chegada, um tempo de graça, salvação e esperança. Sim, Ele é Jesus, o Cristo, o Messias, o Salvador e o Senhor. Chegou aqui desvestido de sua glória para ser um de nós. Transitou humilde para distribuir seu amor sem fim. Em sua compaixão ama e perdoa o pecador, resgata o perdido, cura o ferido, salva o condenado, exalta o humilhado e acolhe o desamparado. Em sua missão proveu uma reconexão da existência humana com o eterno numa nova vida que transcende qualquer limitação, até mesmo a morte. Ao nos tocar a alma renova a esperança no impossível, fortalece a fé cambaleante, preenche a vida de sentido, reaviva a sensibilidade para o amor e o perdão e nos transforma em agentes transmissores da sua graça e esperança. Dessa forma ele continua tocando tudo e todos. E mesmo que não se intenciona reconhecer que a festa do natal é dele, tudo anuncia a sua glória, mesmo as bolinhas coloridas numa árvore, as velas brilhantes em exuberantes castiçais, o aroma das delícias em uma mesa ou mesmo a generosidade de um “bom velhinho”. Sem Deus nada seríamos e nada teríamos. Se ainda existe alguma chama na alma humana para o amor e a generosidade, é porque ali foi semeada por Ele.


Que o gesto divino do nascimento de Jesus entre nós possa ser muito mais do que um lindo enredo de uma história cristã ou uma teologia abstrata rebuscada intelectualmente, mas que possa se concretizar numa experiência relacional com ELE e estender-se para as pessoas a nossa volta. Dessa forma o Natal não será apenas um discurso bonito ou o momento feliz de uma ceia, da festa de alguns dias ou das novidades de alguma viagem, mas será uma experiência que preencherá o “ser no mundo” de um sentido que perdurará por toda vida. A alma faminta e sedenta por amor estará plenamentesaciada por sua Presença. Como ele mesmo diz: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome, e quem crê em mim nunca mais terá sede” (João 6.35).


Que nesse Natal, isso possa ser realidade em nossas vidas de tal forma que nos tornemos agentes de amor e esperança ao acolher nossa família, amigos, ao fazer uma caridade, dar um presente, um abraço, acender uma vela, assar uma comida, ornar nossa casa, cantarolar um hino. Que o natal seja um avivamento da fé, anunciada por pessoas de esperança que carregam em si a luz da boa notícia de que Deus chegou a nós para nos fazer enxergar e experimentar o mais importante, a possibilidade de uma vida nova e abundante com Ele.


(Postado no link <http://www.ministeriovidamelhor.com.br/agentes-de-amor-e-esperanca-2/> em 21/12/2015)

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© Por CLARICE EBERT. Psicologia (CRP 08/14038).

  • Facebook
  • Instagram
  • linktree_145348
  • unnamed
  • E-psi
  • LinkedIn ícone social